• Comédia Romântica
  • 80 minutos.
  • 12 anos.

Até que a Morte nos Separe

  • Principal
  • Local
  • Comentários

Aos 18 anos, eles pensavam que aos 60 seriam 02 velhinhos decrépitos, só que os tempos mudaram. Agora ao entrar na melhor idade, redescobrem o prazer e a vontade de viver e de curtir a vida adoidado. Com muito humor, canto e dança, essa comédia romântica musical se desenrola num karaokê onde um casal comemora 40 anos de casados trocando cartas à cada década e julgando que essa será a última. Porém a vida surpreende e agora aos 60, vem a descoberta dos prazeres e da liberdade que só a maturidade nos traz e eles descobrem que o sonho ainda não acabou. A ideia é morrer jovem o mais tarde possível. Rita Malot é atriz e produtora com larga experiência em musicais e comédias, traz na bagagem espetáculos como “A Chorus Line”, “BlásFemeas”, “Cirano de Bergerac”, “Nostradamus”, “Abre as Urnas”, “O Gosto Da Própria Carne”, e em televisão participou do elenco das novelas Vale Tudo e Top Model. Walmir Santana é ator e Clown, também com vasta experiência em comédia, atuou em “Quadrimatzi”, “A louca de Chailot”, “Como os Nossos Pais”, “O Rei de Copas”, “A Falecida Senhora sua Mãe” e durante 05 anos atuou em “Trair e Coçar é Só Começar.”


Temporada

Este espetáculo não está em cartaz atualmente

Direção / Elenco

Texto: Paula Gianinni. Direção: Amauri Ernani. Produção: Dupla Trupe. Elenco: Rita Malot e Walmir Santana.

Avenida Ipiranga, 344 (Próximo à estação República do Metrô) - República

Horário da Bilheteria

Terça a domingo, das 15h até a hora da apresentação, ou até às 19h, nos dias em que não houver espetáculo.

Observações:

Ar-condicionado, acessibilidade para pessoas com necessidades especiais e estacionamento no local.

"Amamos o espetáculo! Foi muito bom o momento e gostamos muito de conhecer os atores da peça após a sessão. Vamos voltar mais vezes com certeza, e indicaremos a todos os nossos amigos e familiares."

Jesse Fernando de Jesus dos Santos


"Estive assistindo essa peça ontem e me surpreendi com a desenvoltura dos atores, com o tema super atual e com a qualidade do espetáculo. Uma comédia leve com números de canto e dança, que refletem exatamente tudo o que acontece com a gente nessa entrada para a melhor idade. Uma hora de puro deleite e diversão! Amei! Vou voltar e levar amigos. Considero uma das melhores comédias em cartaz atualmente. Obrigada aos atores pela noite deliciosa! Nota mil! Cássia"

Maria de Cássia de Oliveira


"Excelente e leve comédia de cotidiano, como há muito não se via em São Paulo, o duo de atores Walmir Santana e Rita Malot com um texto interessante nos levam a reflexão de como serão nossas vidas depois de uma certa idade. super recomendo, viva o teatro! Peça bem escrita e bem interpretada. A gente sai do teatro com gostinho de quero mais."

Márcio Resende


"Quando saimos de casa e nos dirigimos ao teatro, gostariamos de ter uma noite agradável e poder desfrutar de momentos saudaveis junto as pessoas que escolhemos levar ao teatro. Foi justamente o que não aconteceu ontem. . . !! o teatro é bom, os atores são razoáveis, dentro do proposto pela peça ('até que a morte nos separe). Mas o conteúdo e totalmente apelativo, sendo uma baixaria até com algum constrangimento para as crianças menores de 12 anos que estavam ontem dia 13/03 no teatro. ( a mãe tentou tapar os olhos da filha. . . Kkkk) se fossem minhas filhas, eu teria me retirado no mesmo momento. Totalmente fora de contexto os assuntos abordados com relação ao sexo. . . Mostrando chicotes, algemas e penis de borracha. . . Eu não acreditei. . . Kkkk se eu quisesse ver estes comentários, ou instrumentos, teria visto um filme porno. . . Em qualquer lugar, menos no teatro. . . Não acho que gostaria de perder meu tempo e meu dinheiro com peças deste tipo. . . Mas quem gostou, peço desculpas, porque cada um ri do quer. . . Eu sugiro que se mude o contexto e a sinopse da peça e digam a todos que querem e esperam desta peça algo inteligente, quando todos nós chegarmos aos 60 anos, que serão passadas senas de sexo e instrumentos utilizados no prazer sexual, totalmente impróprias para crianças e adultos que não procuram este tipo de entretenimento. Gostaria que ficasse bem claro pelo sampa ingressos, o tipo de teatro que iremos assistir quando saimos de casa. O titulo "até que a morre nos separe" nada tem de romantismo, carisma, atenção e expectativa. . . . Só penis de borracha. . . é preciso que o sampa ingresso avalie os espetaculos que oferecem e deixem claro o tipo de espetáculo que iremos assistir quando adquirimos um ingresso. . . Me desculpem se ofendo algum interesse, mas não esperava tamanha decepção com esta peça de teatro. . Talvez eu esteja ou estava no lugar errado e na peça errada, infelizmente."

JOSÉ CARLOS CORRÍPIO (98992-4943)

Resposta do Produtor: Prezado José Carlos, sou produtora do espetáculo e nosso público preferencial é de casais e idosos. Todos, sem exceção, amam o espetáculo e consideram a peça uma comedia romântica, leve e divertida. Acho peculiar que o fato de que em uma das cenas, onde arrebenta uma bolsa e caem no chão objetos de sex shop, que era uma brincadeira da esposa para a noite de comemoração das bodas de esmeralda do casal, e que permanecem pouquíssimos minutos em cena até voltarem para a bolsa, tenham perturbado tanto você. Durante seu comentário, você dá várias gargalhadas (kkkks), o que me faz crer que esse fato menor dentro do contexto da peça, tenha agradado bastante à você. Não há nada obsceno na peça, é uma comedia romântica leve e alegre! Temos recebido muitos idosos que permanecem ao final da peça para nos abraçar e elogiar o trabalho. Em nossa página do Facebook já temos cerca de 12 comentários elogiando nossa peça e justamente destacando a leveza do tema. Talvez você realmente estivesse no lugar errado e na hora errada, pois o simples fato de você ter visto um pênis de borracha por alguns segundos, parece que te deixou bastante perturbado. Quem sabe o problema não está dentro de você e da maneira distorcida que você enxergou o espetáculo. Seria bom você reavaliar seus conceitos do que é "obcenidade". O espetáculo é uma peça familiar e você que estava na estreia pode observar que fomos ovacionados em cena aberta com aplausos em pé pelo público, o que demonstra que provavelmente houve uma falha da sua compreensão do conteúdo do espetáculo. Que bom que você foi o único à ter essa opinião . Abraços fraternos e obrigada pelo seu comentário.